sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

VOCÊ ACREDITA NO ARREBATAMENTO?


Você já ouviu falar no "arrebatamento"? Você acredita no "arrebatamento"? O termo "arrebatar" consoante o Aurélio é "tirar com violência ou força, arrancar (...) levar, desprender, de um ímpeto".

O Arrebatamento da Igreja é um dos eventos mais esperados pelos cristãos em todo o planeta! Está descrito  em vários livros da Bíblia, como por exemplo, nos Evangelhos e representa o início de um série de episódios no livro do Apocalipse relatados. Também é descrito como o "Dia do Senhor".

Antes de ser crucificado Jesus havia dito: "E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também." (João 14.3). E quando de sua ascensão aos Céus, enquanto as pessoas olhavam fixamente para o céu, dois anjos disseram: "Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir." (Atos 1.11).

Assim, com fundamento nessas e em outras passagens bíblicas, compreendemos que Jesus voltará para buscar um povo seu, zeloso e de boas obras, que O adorem de forma sincera, em espírito e em verdade. 

O Arrebatamento, será, como o conceito acima nos fala, algo que acontecerá repentinamente, de forma muito rápida e brusca, sendo mais rápido que um piscar de olhos ou como um relâmpago! Os que subirem terão seus corpos transformados e subirão até as nuvens, para se encontrar com Jesus nos ares. Mas os mortos serão privilegiados, e ressuscitarão primeiro, antecedendo os vivos na ascensão até as nuvens. Em síntese, o Arrebatamento consiste no sumisso, no desaparecimento, de milhares de pessoas, de forma repentina, misteriosa e sobrenatural!

Será o fato mais comentado no mundo inteiro! Milhares de pessoas, bebês, crianças, todas desaparecerão, inclusive os nascituros! Muitos acidentes ocorrerão nesse momento, quando forem arrebatadas pessoas que estejam conduzindo veículos nas rodovias, ferrovias, vias fluviais, marítimas e aéreas.

O Arrebatamento é um evento que se aproxima cada dia mais. Não há previsão exata para o seu acontecimento, pois a Bíblia relata que nem mesmo o próprio Jesus sabe desse dia e hora, senão Deus que o determinará! Porém, em razão dos fatos bíblicos estarem se cumprindo categórica e minuciosamente nesses últimos tempos, nós, os cristãos, acreditamos que não vá demorar muito.

Particularmente, e me responsabilizo por isto que vos escrevo, não acredito que demore mais, no máximo, 50 anos até que Jesus volte! Mas, como ninguém sabe o dia, nem a hora, pode ser daqui a pouco, amanhã ou qualquer outro momento. A verdade é que o Arrebatamento, ocorrerá de ímpeto, causando grande surpresa a toda humanidade.

Como não há data certa para que tal evento ocorra, não dê crédito a pessoas que marcarem dias exatos, datas certas do evento ocorrer, pois somente Deus o sabe! 

A Bíblia relata ainda que, só se salvarão pessoas ainda, porque Deus abreviará os dias, isto é, antecipará o arrebatamento, porque se tardasse muito, nenhum humano seria salvo, pois, nesses últimos tempos, o amor de quase todos está se esfriando.

Outra discussão a respeito do Arrebatamento diz respeito a sua ligação com a Grande Tribulação, outro evento bíblico, que consistirá numa grande assolação ao planeta Terra e a seus habitantes, composta por diversas catástrofes provocados pelos anjos por Deus enviados. 

Há divergência entre os teólogos especialistas no tema, dividindo-se em três correntes: os pré-tribulacionistas, os midi-tribulacionistas e os pós-tribulacionistas. A primeira corrente defende que o Arrebatamento ocorrerá antes da Grande Tribulação; já a segunda defende que ocorrerá no meio da Grande Tribulação; enquanto a terceira defende que ocorrerá após a Grande Tribulação.

Das correntes sobrecitadas, contudo, as mais aceitas e coerentes são a primeira e a segunda. Particularmente, ainda tenho dúvidas sobre isso, não podendo emitir meu parecer no que diz respeito à primeira ou segunda correntes. Ambas são possíveis.

A verdade é que o Arrebatamento é apenas o início de uma série de eventos sobrenaturais que estão prestes a acontecer, devendo ocorrer ainda, a Grande Tribulação (Sete Trombetas, Sete Taças, Duas Testemunhas, Bestas etc.), o Milênio, o Armagedom e por fim, o Juízo Final, seguido de Novos Céus e Terra. Mas, para os céticos, trata-se apenas de simbologias ou fanatismo religioso ou lendas bíblicas. Entretanto, nós que sabemos a verdade, devemos estar preparados para este grande evento, tendo a certeza de que será melhor subir do que ficar. A Bíblia fala em certa parábola que as virgens prudentes estavam com reservas de azeite para suas lâmpadas! Isso nos fala de estar alerta e preparado a todo momento!

Que este site, sirva de referência, caso, por ocasião do Arrebatamento, ele ainda esteja em rede, para que você saiba que o Apocalipse, descrito na Bíblia é real. Devendo ser informado ainda, de que, mesmo após o arrebatamento ainda haverá esperança de ser salvo, recusando-se a colocar na mão direita ou testa, o símbolo da Besta, bem como também não adorando ao Anti-cristo.

JESUS ESTÁ VOLTANDO! PREPARE-SE!

Pense nisso! Paz seja com você!

37 comentários:

  1. Respostas
    1. A bíblia não mostra como uma desaparecimento de pessoas, mas sim que a volta de Jesus será um evento glorioso, que "Eis que vem com as nuvens, e todo o olho o verá, até os mesmos que o traspassaram (crucificaram); e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim. Amém. Ap. 1:7", é uma distorção da palavra falar em arrebatamento secreto.

      Excluir
  2. Obrigado, mas e você, acredita no arrebatamento? Dê-nos sua opinião, abraços, volte sempre! ;D

    ResponderExcluir
  3. Claro que acredito
    Louvado seja o nome do senhor!!!

    ResponderExcluir
  4. Amé, que bom! Deus continue te abençoando! Abraços.

    ResponderExcluir
  5. jesus está voltando e temos de ter certeza que se não estivermos na glória ressuscitando primeiro seremos arrebatados.

    ResponderExcluir
  6. É verdade Sr. Anônimo. Os mortos ressuscitarão primeiro, depois os que estivermos vivos seremos transformados para subir também. Jesus está às portas! Porém, vale lembrar que Deus não vive no tempo, mas está acima dele. Abraços.

    ResponderExcluir
  7. È Jesus está voltando...é tempo de preparação...

    ResponderExcluir
  8. Na verdade, devemos já estar preparados, pois a qualquer momento, como ladrão na noite, Ele poderá vir! Abçs.

    ResponderExcluir
  9. Paz a todos leitores,quero dizer q acredito q o tempo de JESUS CRISTO buscar a sua noiva esta muito perto,estamos quase igual sodoma e gomorra,muita maldade,crime,o pecado fede na narina di DEUS, mais muitos nao acreditam e dizem,;ouço dizer qq Jesus vai voltar desde pequeno,,,eu tbem ouço,,,mas c compararmos o dia de hj com antigamente,,vamos encontrar uma grande diferença,,é só abrir a Biblia e ver os acontecimentos,,só vai escapar quem renunciar td por amor a DEUS,tomar a cruz e seguilo, querem saber a verdade,,sao poucos que estao aguardando a volta de JESUS,,abraço

    ResponderExcluir
  10. Sim, a volta de JESUS está próxima, eu, particularmente, não consigo imaginar nós, os salvos, pela terra depois de no máximo uns 30 anos a contar da data atual, lembrando que pode ser a qualquer momento. Calculo cerca de 30 anos como limite máximo, mas acho que Ele volta ainda antes disso. Na verdade apenas Deus, o Pai, sabe o dia e a hora em que o Cristo há de vir, por isso devemos estar preparados 24hs por dia. Abraços, paz.

    ResponderExcluir
  11. Arrebatador, chega sem avisar!

    ResponderExcluir
  12. Sim, virá como um ladrão na noite!

    ResponderExcluir
  13. Eu gosto de acrediar que Ele deve voltar até 2018. Sem data específica. Mas Mateus 24 tem as dicas todas e dentre elas está a geração que viu a Figueira Florescer. Israel como Nação! O dizem ter acontecido em 1948, quando Israel recebeum reconhecimentó aí... 1948 + 70 anos(uma geração)=2070. Se desta geração não passa... "Eis que está às portas..."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não; devemos ficar só preparados para o arrebatamento.mais devemos estar preparado pra sempre estar em Cristo. pois se vivemos em espirito
      devemos andar tambem em espirito..
      Pois muitos estão no seios de Abraão.
      pois se não passarmos pelo arrebatamento.
      devemos estar peprarado para morremos em Cristo..

      Excluir
    2. Exato, devemos estar prontos a todo instante, pois Jesus pode voltar a qualquer instante, para o mundo, ou para a pessoa individualmente. Abraços.

      Excluir
  14. Eu prefiro pensar que a qualquer momento Ele pode voltar, pois a Bíblia afirma que Ele virá como ladrão na noite, de surpresa, quando ninguém espera. Contudo, penso que (só uma hipótese minha) até 2050 Ele já terá voltado! A verdade é que devemos estar prontos a todo momento, pois Ele está voltando!

    ResponderExcluir
  15. Obrigado Mônica, continue compartilhando seus pensamentos, abraços.

    ResponderExcluir
  16. eu creio muito na palavra de Deus,tenho certeza que muito em breve Jesus vai voltar,e eu quero estar preparada para subir com ele.Não tenho nenhuma dúvida,desejo muito conhecer o lindo lugar que ele mesmo preparou para os santos.
    VALE A PENA SER CRENTE FIEL PRA IR PRO CÉU VALE APENA DEIXA TUDO AQUI.JESUS É MUITO LINDO.

    ResponderExcluir
  17. Obrigado Anônimo, Jesus continue te abençoando... abraços.

    ResponderExcluir
  18. O ARREBATAMENTO “DA IGREJA”

    Inúmeros líderes de Igrejas cristãs da atualidade, de variados entendimentos bíblicos teológicos, se proclamam autênticos seguidores da moral evangélica do Cristo e, por conseguinte, idealizam que as SUAS IGREJAS, EM PARTICULAR, serão arrebatadas fisicamente do ambiente terrestre nos transes das grandes tribulações humanas que sobrevêm nos finais de ciclos para desfrutar diretamente, sem nenhum esforço coletivo, as bodas do Cordeiro no reino celestial. Eximindo-se assim numa atitude egoística de exemplificar perante os demais irmãos da humanidade aquilo que Jesus mais fez questão de ensinar e vivenciar na sua jornada terrestre: A paciência e resignação nas tribulações da vida humana.

    São decorridos mais de XX séculos em que árvore do cristianismo abriga sob a sua sombra benéfica as almas humanas, ensinando sob figuras de linguagem os mistérios da imortalidade para além do plano físico terrestre. Essa árvore para chegar frondosa aos nossos atuais dias sofreu ao longo dos séculos os embates da má vontade humana, em forma de tribulações cruciais às suas primeiras sementes, mutilações na formação dos seus primitivos ramos, destruição e queimadas nos seus galhos iniciais.

    Muitos líderes atuais dessas Igrejas modernas desconhecem, ou fingem desconhecer, os martírios e tribulações pelos quais passaram os trabalhadores da boa nova dos primeiros séculos de cristianismo, ignorando assim sem racionalizar com integridade, a labuta do crescimento da árvore cristã para chegar aos nossos dias.
    Utilizando uma figura de linguagem bem simples: aderem ao movimento evangélico que leva a bagagem de mais XX séculos de biografias das sociedades terrestres, e sem reflexionar o pão que “o diabo” da alma humana amassou (distante do bem) em rejeição à pureza aos princípios da vivência cristã.

    Aqui abrimos um parágrafo de reflexão para ajudar irmãos de embrionário entendimento que se julgam inclusos em arrebatamentos em corpo físico direto para o reino celestial, descaracterizando a mensagem viva da cruz, do trabalho nobre, do sacrifício pessoal, da perseverança no bem, da humildade e simplicidade nas coisas espirituais, COM JESUS: aquele que quiser ser o maior, então que seja o servo de todos; quem a si mesmo se exaltar, será rebaixo na vida celestial; e os últimos é que realmente serão os primeiros...


    Intensivo de Difusão Espiritualidade – i d e
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    mensagens semanais de auto ajuda espiritual

    ResponderExcluir
  19. CONHECEREIS A VERDADE, parte 1

    As primeiras tribulações aos ideais do Cristo foram encabeçadas por Herodes, governador da Judéia, após receber a visita dos astrólogos que estavam na busca de localizar a cidade onde o menino Jesus havia nascido. E Herodes temendo o seu futuro político, baixou um decreto e autorizou a mortandade de todas as crianças do sexo masculino com até dois anos de idade (Mateus 2. 16).

    Quando Jesus completou 30 anos começou a sofrer perseguições do Sinédrio, Templo de Jerusalém, onde se praticava a religião mosaica com base no Antigo Testamento das escrituras. O Sinédrio comandava a religião dominante nessa época, na Judéia, e sentiu-se abalado em sua estrutura íntima pela moral que Jesus propagava e vivenciava diante do povo. Os Sacerdotes liderados por Caifás resolveram então promover aflições aos ideais de Jesus, e essas perseguições foram intensas que culminou no desfecho da condenação e crucificação de Jesus. De fato Jesus foi condenado à morte na cruz por acusação da Religião na figura dos Sacerdotes de Jerusalém; e pelo Poder Político que simplesmente lavou as mãos diante das exigências impostas pelo Sinédrio, e que influenciou a massa popular para aplaudir esse ato bárbaro.

    Três cruzes se erguem no alto do monte, naquela sexta feira do ano 33 em que se consumou a ação da condenação de Jesus. Alguém que contemplasse a imagem do crucificado apenas pela visão carnal, abandonado pelos seus seguidores e amigos mais íntimos, e perseguido pelos influentes que executavam a religião dominante da época: os fariseus e saduceus; e também ignorado pelas autoridades políticas que simplesmente lavaram as mãos para um ato desprezível, a crucificação de Jesus como um malfeitor rebelde. Alguém certamente diria: ali jaz um carpinteiro visionário derrotado. Porém, àqueles que têm olhos para ver e ouvidos para entender além dos sentidos puramente materiais, saberiam que no martírio de Jesus fora descortinado uma luz imorredoura para todos os séculos da vida terrestre, e que no plano oculto do invisível essa luz iria trabalhar ativamente iluminando a escuridão mental na qual vagavam as consciências humanas por longos séculos.

    Após a morte física de Jesus as perseguições continuaram sendo destinados aos Apóstolos, com a finalidade de desestruturar os seguidores do Mestre, e tudo isso instituído pelo Sinédrio, onde o jovem Saulo foi um carrasco cruel, até a sua conversão às portas da cidade de Damasco - Síria. Quando em visão espiritual (ARREBATAMENTO) vislumbra em êxtase, o espírito de Jesus ressuscitado (Atos 9. 1 a 18).

    A partir dos anos 40, a boa nova tem um novo seguidor Paulo, que se imortalizou como o apóstolo dos gentios, e que juntamente com Lucas, um jovem médico de origem grega, divulgam o Evangelho em várias pátrias da jurisdição do Império Romano, inclusive na própria Roma. Após os anos 50, em Antioquia é que os seguidores de Jesus foram realmente chamados de: cristãos (Atos 11. 26), por sugestão de Lucas, nascendo assim o termo cristianismo. Antes eram designados como os fiéis do Caminho (vide Atos dos apóstolos 19. 9)



    Intensivo de Difusão Espiritualidade – i d e
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    mensagens semanais de auto ajuda espiritual

    ResponderExcluir
  20. CONHECEREIS A VERDADE, parte 2


    Quando a evangelização alcançou os bairros de Roma, o imperador Nero autorizou perseguições cruciais à comunidade cristã a partir dos anos 55, aonde chegou ao extremo de mandar atear fogo em seus arredores no ano 64, para culpar criminosamente cristãos. Aqueles que aderiam ao movimento das idéias cristãs eram caçados cruelmente e quando pegos pelas autoridades romanas eram queimados vivos, outros levados aos circus que serviam de palco para distrair as pessoas, e ali eram submetidos a enfrentar leões famintos, sucumbindo esquartejados por essas feras em dolorosos espetáculos de insensibilidade e degradação humana.

    Os Cristãos não tinham direitos sociais e nem podiam se reunir para confessar publicamente suas crenças, pois eram punidos impiedosamente com sofrimentos atrozes até extinção do corpo carnal. Só para reflexionar essas atrocidades: Assim como Jesus foi traído, julgado injustamente pelo Sinédrio e condenado à morte horrenda na cruz... os seguidores mais íntimos do Mestre também foram execrados na praças públicas: Estevão foi apedrejado barbaramente; Pedro foi crucificado brutalmente de cabeça para baixo; Paulo foi degolado com ferocidade; e milhares e milhares de cristãos mortos cruelmente, à luz do dia.

    Três séculos de acossamentos cruéis às pessoas que simplesmente buscavam seguir um Mestre que tinha ensinado e vivenciado o amor a Deus, espírito criador de todas as coisas; o amor ao próximo como a si mesmo; a imortalidade da alma; as bem-aventuranças celestes aos que suportassem as provações tribulativas da luta terrena com fé, esperança, e muito amor no coração.
    Uma das tribulações mais cruéis da história foi organizada pelo Imperador Diocleciano no ano 305 que autorizou as Legiões Romanas incendiar do oriente ao ocidente todos os núcleos de pequenas congregações cristãs, mandando assassinar barbaramente milhares e milhares de famílias que professavam a fé em Jesus Cristo.
    O Império Romano estava em decadência moral. As pessoas não suportavam mais tanta barbaridade. Porém o Evangelho crescia na alma popular, e agora as classes dominantes de Roma já viam com bons olhos o heroísmo dos cristãos em suportarem as cruéis perseguições com tanto amor pelas promessas da imortalidade da alma, para além das provações aflitivas da existência humana.


    Intensivo de Difusão Espiritualidade – i d e
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    mensagens semanais de auto ajuda espiritual

    ResponderExcluir
  21. CONHECEREIS A VERDADE, parte 3


    FINAL DO SÉCULO 4. O Império Romano governado por Constantino liberou publicamente o cristianismo em todas as nações do Império. A razão de sua conversão fora uma visão do símbolo da cruz no céu, durante a Batalha da Ponte Mílvia, em que venceu o inimigo na disputa pelo trono. Transcorrido esse período de calmaria sobe ao poder público: o imperador Teodósio, que desejando concentrar em Roma a matriz do cristianismo, constitui então o Catolicismo Apostólico Romano como a religião do estado romano. Com a instituição do Catolicismo o Império Romano estabeleceu a primazia do Bispo de Roma sobre todos os demais Bispos das congregações cristãs distribuídas nas demais regiões do mundo antigo, fato este que causou divisões entre os cristãos. Pois algumas congregações se opuseram a essa subordinação, por exemplo: Antiquióquia que era uma das primitivas do ano 42. Essa tomada de decisões abriu margem para quem se dizia cristão perseguir outro cristão. Doravante, repontam as heresias de crenças; as cruzadas religiosas e explorações de terras que incitam batalhas sanguinárias; as inquisições da crença que promovem perseguições cruéis em Tribunais intitulados de Santo Ofício e que, ao invés de anunciar a vida eterna lançam a morte atroz às pessoas que divergem fundamentos e princípios de crenças.

    MAIS DE DEZ SÉCULOS DE TRIBULAÇÕES fratricidas pela sobrevivência das idéias religiosas, até as reformas protestantes que aconteceram a partir do século XVI.

    Certamente que não se alcançará o raciocínio lógico destas lutas renovadoras da evolução social e que sensibilizam as lembranças humanas, ignorando-se o principio básico da vida e muito bem divulgado no Evangelho: a imortalidade da alma. Conscientizou Jesus: “Não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma”... (Mateus 10: 28)
    No mundo passareis por tribulações, mas tende bom animo eu venci, vós também vencereis... (João 16. 33)
    E confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no Reino de Deus (Atos 14. 22)

    Jesus tinha onisciência que os seus ensinamentos morais iriam inflamar as intolerâncias religiosas do mundo antigo cheio de maldades, violências, pecados, transgressões, preconceitos, corrupções... Ele mesmo dá conhecimento destas coisas, quando esclarece: Não penseis que vim trazer paz ociosa à Terra... Não vim trazer esse tipo de paz; Mas, a ação da luta renovadora... Porque eu vim por em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra... E assim os oponentes do homem serão os seus próprios familiares (Mateus 10. 34 a 36). A sociedade não tinha uma base de fé unificada em Deus, os povos eram pagãos e os governos materialistas; as crenças que eram responsáveis de conduzir as Almas viviam se digladiando umas com as outras em guerras de extermínio e crueldade. E dessa forma a mensagem renovadora do Evangelho do Cristo iria levar séculos para solidificar na alma humana, e que os primeiros trabalhadores de sua causa seriam trucidados vivos nos palcos e circos humanos, como de fato aconteceu: séculos de lutas, tribulações e derramamento de sangue para a sociedade começar a respeitar e reverenciar a moral salvadora de Jesus.

    Estas divergências e lutas que ocasionaram muitas provações coletivas no plano físico terrestre elas se tornam perfeitamente elucidadas à luz e justiça da reencarnação das almas. Sem o princípio misericordioso da reencarnação da alma e seu trabalho progressivo para o reino celestial, todas essas lutas e provações seriam incompreensíveis e estaria subordinado a um acaso cego e insensato.

    ResponderExcluir
  22. CONHECEREIS A VERDADE, parte 4

    AGORA, a certeza que Jesus fez questão de ensinar nos Evangelhos sob o véu de figuras de linguagem, é que após as provações, que transcorrem com as tribulações e martírios dos seus seguidores na luta material. Nenhum deles ficaria desamparado na vida imortal do espírito após extinção do corpo carnal (Mateus 16. 24, 25 a 28), porque essas almas heróicas que perseverassem fiéis até o fim em suas provações, suas almas seriam salvas das tribulações do além túmulo SEM PASSAR PELO DANO DA SEGUNDA MORTE (Apocalipse 2. 11) ou seja: expiações em corpo espiritual, porque estariam amparadas pelos anjos celestiais e conduzidas para o reino espiritual no seio invisível de Deus, E DESTA FORMA É QUE SE CUMPRE O ARREBATAMENTO ESPIRITUAL, do círculo terrestre para o seio imaterial da vida celestial, EM TODOS OS TEMPOS DA EVOLUÇÃO TERRÁQUEA, nos finais de ciclos de tribulações provacionais individuais, coletivas e gerais.
    AFIRMOU JESUS: “Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam” (Mateus 24. 34) Figura de linguagem que se refere à época dos primeiros obreiros do cristianismo nascente.

    Se esperamos em Cristo nó nesta vida (material), somos os mais miseráveis de todos os homens...
    E há corpos celestes e corpos terrestres... Se há corpo animal, há também corpo espiritual...
    A carne e sangue não podem herdar o reino de Deus (I Cor 15. 19 a 50).

    O reino de paz e amor iniciado por Jesus ainda não pertence a este mundo (João 18. 36). Apesar de nosso mundo, o planeta Terra, no plano extrafisico todo poder de direção espiritual ter sido delegado por Deus: a Jesus Cristo (Mateus 28. 18). A todos aqueles que seguem a moral cristã com consciência, Jesus está preparando novos lugares de bem-aventuranças celestiais, a desfrutar nas infinitas moradas da Casa Universal do Pai Criador (João 14. 1 a 3).

    Aparentemente apesar de não vermos Jesus com os olhos carnais, Ele está presente invisivelmente em nossas vidas participando interativamente, nos consolando nas lutas redentoras, nos inspirando pelo poder do divino espírito.
    “Estarei convosco todos os dias até a consumação dos séculos”. E o reino de Deus não vem com aparências exteriores (Lucas 17. 20 a 21). Nem dirão: ei-lo aqui, lá, acolá... É uma conquista individual e interior, ou seja, é um estado de espírito que alcançamos quando a nossa consciência desperta em si mesmo os sentimentos divinos do Cristo.

    QUE DESPERTEM NAS IGREJAS os nossos irmãos em Cristo, pois na vida eterna que se desdobra nos planos celestiais divinos não existe aposentadoria compulsória, tal qual na existência física humana. Lembremo-nos do que ensinou Jesus: O Pai trabalha até hoje, assim também o Cristo, e todos os filhos da luz...


    Intensivo de Difusão Espiritualidade – i d e
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    mensagens semanais de auto ajuda espiritual

    ResponderExcluir
  23. DONS ESPIRITUAIS

    Sabemos que há no ser humano cinco sentidos que sensibilizam a sua existência e todos estão interligados à mente criadora, que coordena toda vida inteligente: visão, olfato, tato, paladar e audição. Nessas percepções de sentir a interação da vida carnal, o ser humano já parece perceber o sexto sentido que está integrado ao seu psiquismo, à sua espiritualidade; bem, é o sentido do futuro, do eu espiritual.

    ARREBATAMENTO ESPIRITUAL é também uma exteriorização mental para além do plano físico, é um sentido que desenvolvemos em nossa consciência espiritual para sentirmos a natureza extrafísica.


    Intensivo de Difusão Espiritualidade – i d e
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  24. O PROFETA ELIAS FOI ARREBATADO AO CÉU EM CORPO CARNAL; OU, EM CORPO ESPIRITUAL?


    Segundo o historiador Flavio Josefo que existiu há 90 anos d.C; o LIVRO DE REIS fora escrito pelo profeta Jeremias que vivera há 600 a.C; que descreve os fatos relacionados ao profeta ELIAS que vivera há 900 anos a.C; OU SEJA, o profeta Jeremias está descrevendo uma história que transcorrera há 3 SÉCULOS mais ou menos anterior à sua época, e que era comentada oralmente através das gerações.


    A QUESTAO É: ELIAS MORREU DE FATO NO CORPO CARNAL, TENDO O SEU CORPO DESINTEGRADO PELA ENERGIA QUE O ARREBATOU?

    OU, entrou no Céu de luz espiritual com O MESMO Corpo físico carnal composto de matéria orgânica terrestre?


    SE ELE FOI ARREBATADO NUMA CARRUAGEM INCANDESCENTE, conforme narração da época, ERA UMA NAVE CELESTE?
    OU ESSAS NARRAÇÕES ESTARIAM TRUNCADAS pelo fato da própria incapacidade humana em conhecer os relatos na íntegra?


    VAMOS TENTAR DISCERNIR COM A PRÓPRIA LÓGICA DAS ESCRITURAS, primeiro: O hebraico é uma linguagem escassa de palavras, somente 12.000 palavras. Enquanto o português só verbos existem 40.000 verbos. Esse é mais um problema de numa época antiguíssima certas palavras terem sentidos ambíguos. Muitas coisas no Velho Testamento foram REPASSADOS ORALMENTE através das gerações, e toda Escritura foi traduzida séculos depois para o grego no ano 400 d.C pelo padre Jerônimo de Strídon.


    VERDADE FUNDAMENTAL BÍBLICA: A CARNE E O SANGUE NÃO PODEM HERDAR O REINO DE DEUS, ou seja, segundo a própria Bíblia em corpo carnal não podemos entrar no reino celeste e divino (I Cor 15. 50)

    E SE HÁ CORPO CARNAL, HÁ CORPO ESPIRITUAL (I Cor 15. 44), logo Elias para adentrar no plano celeste e divino teve que desprender-se definitivamente dos fluidos do seu corpo físico carnal, e esse desprendimento integral, conseqüentemente produz o falecimento dos órgãos carnais, ou seja, a morte física no corpo carnal humano. E, em corpo espiritual o profeta Elias pôde adentrar as dimensões de vidas extrafisicas nos planos imateriais.


    VERDADE BÁSICA DA EXISTÊNCIA DO HOMEM: O homem é um SER em 3 dimensões: CORPO, ALMA e ESPÍRITO (I Tess 5. 23); ou seja: energia, consciência e vida; ou como ensina a doutrina dos Espíritos: CORPO CARNAL, PERISPÍRITO, e ESPÍRITO.
    CORPO CARNAL: matéria orgânica terrestre; PERISPÍRITO: corpo energético, corpo espiritual, formado de fluidos eletromagnéticos do astral onde ser habita; ESPIRITO: essência cósmica, foco divino do Criador na criatura.


    A MORTE FÍSICA é a separação da alma/espírito do corpo físico carnal, ou seja, o ser passa para a dimensão espiritual que é a vida extrafísica em espírito. Se a criatura ficar nas dimensões paralelas ao globo terrestre é necessário condensar a sua veste espiritual, que é o perispírito e terá a aparência humana normal (tal qual narração de Jesus na parábola de Lázaro e do Rico, que após a morte carnal tornam a se ver no Além, vide Lucas 16. 19 a 31). AGORA se o Ser subir os planos cósmicos em direção ao infinito celeste, nesse caso até o perispírito é desintegrado; e o Ser consciência livre só pode fazer esses acessos interdimensionais somente em espírito; ou seja, em mente... pensamento, energia divina.


    Intensivo de Difusão Espiritualidade, ide
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  25. RELATOS AMBÍGUOS DO ARREBAMENTO DE ELIAS


    Depois da morte do rei Salomão surgiram conflitos religiosos internos entre as tribos do povo hebreu (cisma), ocasionando divisões políticas: Reino de Judá, com a capital em Jerusalém; Reino de Israel que ficou sendo governado por Jereboão, com a capital em Samaria, e que aliou-se aos fenícios outrora inimigos mortais do povo israelita. E no decorrer das sucessões e reinados implantou-se o paganismo como religião oficial em Israel, tendo em Jezebel mulher do rei Acabe, o elo principal dessa usurpação.

    O profeta Elias contraíra perigosos inimigos por causa das execuções (mortes) que ordenara motivada pelas divergências religiosas, primeiramente aos profetas de Baal responsáveis pela propagação dos rituais pagãos em Israel (I Reis 18. 17 a 25) e, em seguida à cavalaria israelita, que era uma corporação militar que prestava segurança aos sacerdotes de Baal.

    O profeta Elias era um líder comunitário, e como tal exercia muita influencia sobre o povo, arrebanhando os seus seguidores que executavam as suas ordenações rigidamente I Reis 18. 17. Para diversos opositores Elias incentivara a degolação a fio de espada I Reis 18. 40, e a outros a maldição da morte através da fogueira II Reis 1. 9 a 14.

    E por várias vezes Elias fora ameaçado de morte nas regiões de Betel e depois Jericó... Em toda aquela região existiam: profeta, filhos de profetas, profetas de Baal... Somente profetas de Baal eram 450. Entretanto Elias se considerara o único profeta do povo judeu (I Reis 18. 22). Com tantas ameaças religiosas Eliseu até intercedera respondendo aos filhos de profetas: calai-vos, como quem diz assim: fiquem quietos..., conforme está registrado em II Reis capítulo 2 versículo 3 a 5.

    Compreenda-se nesses relatos que se este arrebatamento fosse de ordem celestial e um plano idealizado pelos poderes divinos, jamais outras pessoas da mesma época, como os filhos dos profetas (II Reis 2. 5) saberiam dessa ação que estava sendo planejada no plano invisível de Deus. E se há vazamento de informações nessa ação do rapto de Elias conforme apreendemos em II Reis 2. 5 ... Pois a palavra arrebatar tem esse sentido também de raptar. E o profeta Elias já se mostrava bastante preocupado com esse desfecho, que era as ameaças de sua morte: I Reis 19. 10 e 19. 14

    NA ÉPOCA ERA MUITO COMUM MATAR ADVERSÁRIOS RELIGIOSOS EM FOGUEIRAS QUEIMANDO E DESTRUINDO ATÉ AS CINZAS DO INIMIGO, E DEPOIS AS JOGANDO NO AR À BEIRA DE RIOS e ENCOSTAS.

    O profeta Elias, homem físico, provavelmente fora executado pelos cavaleiros de Israel. Que era uma corporação militar do reinado israelita nessa época em conflito religioso com a Judéia, e que estava a serviço de Baal, e em perseguição atroz de Elias, TIPO ESQUADRÃO DA MORTE, guerreiros que andavam naqueles vales e desertos em CARRUAGEM puxada por FOGOSOS CAVALOS, vejam só o relato de Eliseu logo após o arrebatamento/rapto de Elias dando essas provas. O que vendo Eliseu, clamou: Meu Pai, meu pai, CARROS DE ISRAEL E SEUS CAVALEIROS!!! (II Reis 2. 12) E depois conclui o relato bíblico: NUNCA MAIS ELIAS FOI VISTO, claro Eliseu presenciou o fato e ocultava-o em segredos temendo também a sua integridade física. Esses conflitos se estendem por séculos e envolvem israelitas e palestinos na faixa regional de Gaza.

    ATÉ HOJE É COMUM NO ORIENTE MÉDIO FACÇÕES RELIGIOSAS QUE USAM HOMENS BOMBAS SUÍCIDAS, HOMENS INCENDIÁRIOS A COMETEREM HOMICÍDIOS EM MASSA, E FAZEM TAMANHA BARBARIDADE EM NOME DE DEUS.


    Intensivo de Difusão Espiritualidade, ide
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  26. O ARREBATAMENTO EM ESPÍRITO DE ELIAS, APÓS SUA MORTE FÍSICA


    Resumindo: Elias homem físico teve seu corpo carnal decomposto pela morte física como todos os homens fisicamente morrem na existência material. Deus estabeleceu no inicio da vida física material: Tu és pó e pó te tornarás... (Gênesis 3. 19); Porque aos homens está ordenado morrerem... vindo depois o juízo... (Hebreus 9. 27); O Corpo volta ao pó e espírito retorna a Deus (Eclesiastes 12. 7)

    ELIAS NÃO PODERIA SER SUPERIOR A JESUS CRISTO, POIS ATÉ MESMO JESUS SENTIU AS AGONIAS DA MORTE, NO GETSMANI, E MORREU CRUCIFICADO NO GÓLGOTA.

    O fato da Teologia e Sacerdócio religioso dissimularem a morte física de Elias... Não passa de uma artimanha da ignorância humana que utilizou as várias “reformas religiosas” e quiseram complicar as evidências da imortalidade da alma e reencarnação desse espírito comprovadas na própria Bíblia sagrada. Pois Elias morre fisicamente e sua alma é que arrebatada para o mundo espiritual, onde se prepara para novas etapas de aprendizagem e retornando séculos depois, e renascendo na vida material na época de Jesus.

    ELIAS DEIXOU A EXISTENCIA MATERIAL E SUBIU AOS PLANOS EXTRAFISICOS DA VIDA CELESTE EM CORPO ESPIRITUAL através de um redemoinho II Reis 2.11. Redemoinho é derivado de vento e vento em hebreu sintetiza as coisas espirituais - João 3. 8 Naturalmente foi para as dimensões paradisíacas do plano espiritual onde a Alma continua crescendo para vida celeste.

    O resgate do cadáver pode até permanecer em mistérios como na atualidade às vezes não é possível fazer autópsia de alguns corpos físicos falecidos, ex: deputado Ulysses Guimarães, alpinista Bernardo Collares, e diversos passageiros mortos no acidente aéreo do vôo 447 da Air France, no oceano Atlantico. Apesar de termos mais tecnologia do que na época primitiva.

    Claro que, o arrebatamento de Elias ao Céu em corpo carnal, corporificou-se nos relatos das crendices religiosas como uma figura de linguagem bem expressiva. Tanto quanto a imagem do papai Noel representa para muitas pessoas, na atualidade, aquele velhinho bondoso de barbas brancas saindo do pólo norte na sua carruagem e entrando nas casas pelas chaminés!

    Intensivo de Difusão Espiritualidade, ide
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente respostas Abrahão Ribeiro.
      Muito prudente e verdadeira!

      Excluir
  27. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  28. Não acredito em arrebatamento.
    E nem acredito na Segunda Vinda de Jesus Cristo, por duas razões: a primeira é que a única coisa que resta do Nazareno é apenas o pó de seu corpo consumido pela terra. Até hoje, não existe nenhuma prova de que qualquer ser humano tenha ressuscitado. Jesus Cristo não seria a exceção. Segunda razão, ele nunca foi, não é e, tampouco será, o Messias enviado para reger este Mundo, pois não cumpre nenhuma das regras relativas ao Messias que estão previstas no Talmude, na Zohar e na Escritura Hebraica. Portanto, quem espera pelo arrebatamento e pela "vinda gloriosa" do crucificado está perdendo tempo e se alimentando de ilusões.

    O messias ainda virá. E somente virá quando o Terceiro Templo de Israel estiver construído.

    ResponderExcluir
  29. Respostas
    1. A terra se tornará como um verdadeiro paraíso, após a chegada do Messias (Que será descendente de Davi). Uma miríade de transformações e milagres ocorrerão no mundo, quando o enviado do Altíssimo chegar: os corpos dos justos serão revividos e terão uma nova feição, serão verdadeiros corpos espiritualizados; os animais ferozes se tornarão dóceis; bem como os montes serão aplainados; não haverá espinhos, nem insetos que incomodem ou tirem a nossa tranquilidade; as doenças e os males mentais se extinguirão e os homens lograrão perpétua saúde do corpo e da alma; os justos servirão ao Templo e honrarão eternamente a dádiva da criação, servirão a D'us, o Pai Supremo que nos criou e que é responsável por reger a racionalidade de sua criação.
      Não acredito em fábulas e a teologia do arrebatamento é mais uma fábula pentecostal, surgida na década de 20 do Século passado.

      Excluir
  30. Respostas
    1. Qual será a próxima fábula cristã: será a bilocação ou a ascensão espiritual?

      Excluir
  31. Concordo plenamente com Daveslley. Cadê que até hoje ninguém ressuscitou. Tudo truque da Igreja Católica e dos evangélicos alienados.

    Os protestantes burros que não sabem nem interpretar uma cartilha ilustrada, quanto mais a Sagrada Escritura que é um livro super difícil e de uma linguagem histórica imensamente confusa. Pois não se sabe ao certo, quando tais fatos históricos (como a morte de Cristo, por exemplo) ocorreram e nem quando ao menos foram escritos. Afinal, já dizia, Eric Hobsbawn ao mencionar que a História é lacunar, e sempre há uma forma de questioná-la tanto em termos de veracidade, quanto de legitimidade. E o evangelho faz parte da história bíblica, não fugindo a regra, nem escapando do questionamento quanto ao seu valor moral, prático e humanístico.

    ResponderExcluir

Comente, opine, sugira!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...